segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

REVIVAL - Entrevista Fernanda Takai (Pato Fu)

Conforme prometido nos textos abaixo segue abaixo a primeira das várias entrevistas que fiz para o "falecido" site AGITA VALE e que recolocarei na integra a disposição dos leitores deste blog. Saliento que todas entrevistas foram feitas com autorização, as quais se encontram arquivadas em meus arquivos pessoais.
Pessoal com vocês, FERNANDA TAKAI - Pato Fu
1º) Quais são as influencias do Pato Fu?
Não há uma influência única e geral.Mas achamos um ponto comum nos anos 80,época em que começamos a tocar também.Ouvimos muito do que foi chamado de pós-punk ou new wave. Bandas como Devo, Clash, The B-52´s,The Cure, Talking Heads...Hoje escutamos coisas do mundo todo,de estilos variados, até pra saber o que é bom e o que é não é.
2º) Como foi para vcs tocarem no III Rock ( Pop ) in Rio, em que muito> "críticos" diziam que a banda poderia ter problemas, seja com o tipo de público, com a hora do show, etc,?
Já tínhamos tocado em outros grandes festivais pelo Brasil e num eventointernacional que foi o Hollywood Rock de 96, quando abrimos para Smashing Pumpkins, Cure, Supergrass etc.Se tem uma coisa que a gente gosta, é abrir noites commais gente se apresentando. Pra ser sincera, tocar no fim é muito ruim, pois o público fica cansado.Foi ótimo termos participado do Rock In Rio, com todas suas qualidades e defeitos. O único problema que tivemos com a produção foi a nossa escalação e a da Fernanda Abreu para a chamada noite teen. Resolvemos que não ficaríamos no evento desse jeito e tivemos nossas solicitações atendidas. De resto, fomos bem tratados,tivemos direito a passagem de som, cachê etc.Só dependia de nós mesmos fazer um show bom.Quem disse que só a platéia do Rock In Rio pode endurecer com um artista? Cada show é uma prova de fogo pra qualquer um.
3º) Como é para vc trabalhar com o Pato Fú e principalmente com o John, que afinal de contas é seu marido também?
Só um detalhe importante: Pato Fu não tem acento!Eu já tive outras bandas, mas nunca toquei num grupo depessoas tão especiais quanto às que estão no Pato Fu.Não que a gente seja bacana demais ou coisa parecida,mas o nível de comprometimento que temos com a carreiraé algo maravilhoso.A gente sempre cuida de tudo nos mínimos detalhes efica cobrando um do outro o tempo todo.Se a banda fica relaxada, piora com o tempo.Sabemos que viver de música é algo raro, então levamosnossa carreira muito à sério, sem perder momentos debom humor, é claro.O fato de eu ser casada com o John só tem trazido coisas boas por enquanto. Encontramos um equilíbrio entre assuntos de banda e assuntos particulares.
4º) Quando vcs lançaram o primeiro CD, vcs eram tidos como uma banda totalmente "experimental" por alguns e hj escutando o último CD ( Ruído Rosa> ), da para perceber que vocês que vcs continuam fazendo "experimentos" porém de uma forma totalmente diferente, porém as pessoas que antes apedrejavam,hj aplaudem. Vc teria como nos explicar como conseguiram esta mudança de certa forma rápida e quando vc percebeu que realmente a Banda estourou na galera, e os fãs multiplicaram-se, e continuam se multiplicando até hj?
Não acho que tenha sido rápido.Temos quase 10 anos de carreira.Foram 6 discos inéditos lançados.Faz parte de nossa vontade artística não fazer a mesmacoisa disco após disco, turnê após turnê.Temos uma história pra contar, mas sempre estamos querendonos surpreender antes de tudo. Repetir fórmulas não é o nosso forte. Sempre que uma música faz relativo sucesso, não há outra igual para dar continuidade ao trabalho. A indústria não gosta dissso e alguma parcela do público também não.Tem gente que diz não gostar do nosso show ou do nosso disco porque "é muito quebrado, não dá pra dançar direito...".Isso é o tipo de comentário que nem levamos em consideração porque trabalhamos com o contraste!
5º) Como é a relação de vcs com a legião de fãs que vcs possuem em todo> país?
A gente tem menos fãs do que um monte de outros artistas,mas fico feliz em saber que as pessoas que gostam de nossa música,nos acompanham por muito tempo.É muito fácil entrar em contato com a gente,seja em show, carta, email...
6º) Fernanda, fale um pouco do último CD, como foi a gravação, esta saindo como vcs pretendiam? Foi muito difícil escolher as músicas que entrariam no CD? E qual a sua musica preferida do novo CD?
Minha música favorita é "E O Vento Levou...", uma canção que fiz com o John.Ficamos realmente felizes com o resultado sonoro do disco.Tivemos total liberdade de repertório e gravação, mixamos 8 faixas em Londres (que era um sonho antigo) e tivemos boa receptividade por parte do público e imprensa especializada.Escolher as músicas que entram num disco é sempre complicado,mas é algo que gostamos de fazer.
7º) Gostaria de um recado seu pra galera que acessa o site.
Sabemos que estamos devendo shows na região e não é por falta de vontade nossa.Espero que os produtores daí se animem a levar a turnê do Ruído Rosa pra vcs.Obrigada pelo apoio esses anos todos.
Um beijo pros meus avós, tios e primos que moram em SJCampos! Fernanda Takai

2 comentários:

Guilherme Matarezi disse...

Fala Fernando, tudo certo? Parabéns pelo Blog! Estou querendo falar com vc, tem algum e mail?
Abs.

Mariana disse...

Fernando!!! Você tem um blog, cara!!!!

Que legall... vou te linkar lá no meu....

Gostei da entrevista ;)

beijos